Minha Casa Minha Vida


Os financiamentos imobiliários podem ser realizados em bancos públicos ou privados por meio de programas do governo como o Minha Casa Minha Vida. Além disso, é possível conseguir crédito pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e o pró-cotista do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Mas você sabe quais documentos são exigidos para o financiamento da sua casa própria? A Plano ajuda você com isso. Uma das fases mais importantes do financiamento é a entrega de documentos. Afinal, é uma grande quantidade de papéis que precisa estar dentro dos padrões do banco para que ele possa liberar o seu processo. Saiba quais documentos necessários:

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS COMPRADOR (ES)

  • - Documento de Identidade, RG e CPF;
  • - Comprovante de endereço atualizado;
  • - Carteira de trabalho (Contratos regidos pela CLT);
  • - Certidão de estado civil, e caso seja casado os mesmos documentos da(o) cônjuge;
  • - Declaração de Imposto de renda (Se declarante)
  • - Comprovantes de rendimentos;
  • - Para uso do saldo de FGTS, extrato da conta vinculada atualizada;
  • - Procuração no modelo CEF, se houver procurador

Obs: Toda a documentação, apresentar cópia e original.


Perguntas frequentes:


Adquirir a casa própria era um sonho pouco distante das famílias brasileiras de baixa renda. Mas o cenário começou a mudar em 2009, quando o Minha Casa Minha Vida foi lançado pelo Governo Federal. Até hoje, o programa já entregou mais de um milhão de moradias e continua beneficiando a vida de muitas famílias com descontos e vantagens especiais.

Atendimento especializado: quando você escolhe comprar um imóvel na Plano, está comprando com a maior parceira do Governo Federal no Programa Minha Casa Minha Vida. Isso significa que você receberá um atendimento totalmente especializado. Nossos corretores conhecem todos os detalhes e informações necessárias para você conquistar o seu apartamento.

Facilidade no financiamento: o programa oferece uma grande facilidade no financiamento, permitindo que a casa ou apartamento seja quitado em até 360 meses.

Taxas de juros: o Minha Casa Minha Vida oferece valores bem abaixo dos praticados pelo mercado, de acordo com a renda da família, facilitando a aquisição do imóvel.

Segurança: ter uma casa ou apartamento próprio é uma das formas de garantir um pouco mais de segurança para você e quem você ama. Um imóvel faz parte da história de qualquer família e ajuda em todos os outros aspectos da vida, trazendo conforto, comodidade e servindo como um porto seguro, inclusive para os momentos mais difíceis.

Adeus ao aluguel: talvez a maior vantagem do Minha Casa Minha Vida seja a chance de sair do aluguel. Alugar uma residência é um dos gastos mais altos da vida de um brasileiro e, dessa forma, ele vê todo mês uma quantia considerável do seu salário indo embora sem retorno algum. Com o programa, é possível destinar essa verba para pagar as parcelas e, no final do financiamento, ter um apê completamente seu, do jeito que sempre quis.

As família com rendas até R$ 7.000,00 e estão em busca do 1° imóvel. É só entrar em contato com os corretores da Plano para realizarem uma simulação e identificarem a melhor opção de financiamento para a sua família sair do aluguel e você parar de jogar dinheiro fora.

Se sua família tem renda mensal menor que R$ 1.600,00, é preciso se inscrever na prefeitura da sua cidade ou numa entidade organizadora para iniciar o processo de seleção. As famílias cadastradas nas prefeituras e validadas pelos bancos conveniados, participarão de um sorteio para a compra e assinatura do contrato de financiamento do imóvel.

Se sua família tem renda mensal entre R$ 1.600,00 a R$ 7.000,00, você pode entrar em contato diretamente com um corretor da Plano para tirar todas as dúvidas sobre o financiamento, escolher o seu apartamento e fazer sua inscrição em um dos bancos parceiros. O banco irá analisar a sua documentação e do imóvel, apresentando as melhores condições para o financiamento de acordo com a sua idade e renda.

O corretor da Plano estará sempre à disposição para eventuais dúvidas durante esse processo.

Quando você tiver com toda a documentação aprovada e validada pelo banco, e o contrato assinado com a Plano, você assina o contrato de financiamento e se torna o feliz proprietário da sua casa própria.

Subsídio é a parte do valor do imóvel que será pago pelo governo. É isso mesmo, o governo federal paga parte do seu novo imóvel para realizar seu sonho da casa própria.

Os valores máximos dos subsídios variam de acordo com a cidade e com a renda bruta familiar. Cada cidade tem um valor máximo para que o imóvel se encaixe no programa. A Plano Urbanismo oferece imóveis com subsídios de até R$47.500,00.

- Você não pode ter imóvel em seu nome na cidade que mora ou trabalha.
- A sua prestação não pode ser maior que 30% da sua renda familiar mensal.
- Sua renda familiar bruta deve ser no máximo R$ 7.000,00 por mês.
- O imóvel deve ser utilizado para sua moradia.
- É preciso apresentar comprovante de renda formal, informal ou combinada.
- É preciso apresentar documento oficial de identificação.

Além das menores taxas de juros do mercado, na Plano você tem até 360 meses para pagar, e ainda pode dividir a entrada. Consulte condições com um atendente e confira as facilidades!

As taxas de juros do programa Minha Casa Minha Vida 3 são as menores do mercado e variam de acordo com a sua faixa de renda.

FAIXA DE RENDA LIMITE DE RENDA TAXA DE JUROS*
Faixa 1,5 Até R$ 2.350,00 5%
Faixa 2 Até R$ 3.600,00 5.5% a 7% a.a
Faixa 3 Até R$ 6.500,00 8,16% a.a

* Valores sujeitos a alteração.

O valor da parcela mensal deve ser menor que 30% da sua renda total. Por exemplo, se sua renda é de R$2.000,00, a parcela não passa de R$600,00.

Sim, você pode utilizar o seu FGTS para comprar um imóvel no Minha Casa Minha Vida. Você só precisa seguir as seguintes condições:

-Você não pode ter nem estar comprando um imóvel residencial pelo SFH, em qualquer parte do país.

- Você não pode ter nem estar comprando um imóvel residencial, concluído ou em construção, que seja no município onde mora ou no município onde trabalha, em município vizinho nem na região metropolitana.